Espiritismo e o Conceito de Gênero

A Luta

A humanidade luta para compreender e aprender a lidar com o conceito de gênero, e a Doutrina Espírita tem muito a contribuir por ter como objeto especial o estudo do elemento espiritual. O espírito, em si, não tem gênero! Mas a evolução do princípio espiritual desde os animais ao ser humano, os gêneros caracterizam a fisiologia.

Em busca do livre-arbítrio e da inteligência, para compreender a nós mesmos, vivenciando múltiplas experiências; homem, mulher, transgênero, homossexual, bissexual; ainda temos um longo caminho para vivenciar com naturalidade a pluralidade dessas vivências naturais. O mundo é uma escola de aplicação, e no teatro da vida todos os papeis são oportunidades de aprendizado.

Todavia, o mundo atual ainda vive preconceitos próprios da ignorância e do medo do desconhecido. Os espíritos evoluídos estão acima desses conflitos, pois enxergam a unidade da realidade universal. Distantes do apego à matéria, já vivem uma relação independente das diferenças fisiológicas de gênero, são plenos de sua identidade espiritual, tudo compreendem, imersos num sentimento de harmonia que um dia todos nós alcançaremos.

Em Nosso Mundo

Por meio do Espiritismo, o encaminhamento do tema se dá no sentido da inclusão, acolhimento e amadurecimento moral de todos. Jamais de preconceito, divisão e exclusão. Esses últimos são características dos desvios e fazem parte do discurso ilusório dos falsos profetas. Pelos frutos se conhece a árvore.

inclusão - photo by https://pixabay.com/pt/users/geralt-9301/

O Espiritismo é uma doutrina da liberdade

Esclarece oferecendo alento, união e harmonia. Aquele que busca a compreensão das diferenças e realidades do corpo que utiliza nesta vida, vive uma experiência enriquecedora e apropriada aos desafios que escolheu nesta oportunidade. Em outras vidas experimentará outros estímulos. Somos todos aprendizes, e a solidariedade aplaina as diferenças, unindo-nos sempre.

Com Allan Kardec, o Espiritismo está na vanguarda da revolução moral que se agita. Quem não o compreende bem não o altera, não o representa, e jamais irá desviar o seu caminho!

2 Replies to “Espiritismo e o Conceito de Gênero”

  1. Concordo com o seu posicionamento, aliás um dever da sociedade respeitar tudo e a todos dentro dos limites criados pela mesma. Bom tom, educação, tolerância, etc. Mas a Doutrina da Reencarnação não nos remete ao mundo material para experimentações que nos permita corrigir desvios viciosos de que somos contidos. Como fica então esta orientação aos que diferem e precisam ser conduzidos ao entendimento? Porque só aceitando não fazemos nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *